O SISTEMA ESTENITAL DE TAQUIGRAFIA : SUA HISTÓRIA.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

O SISTEMA ESTENITAL: SUA HISTÓRIA

São diversos os sistemas estenográficos, como variados são os métodos para alcançar perfeito conhecimento dessa arte de escrever com rapidez, através de sinais, apanhando em segundos o que, com a escrita comum, exigiria muitos minutos, até horas.

Adotar um sistema ou método não deve significar que os demais sejam inferiores. Os cultores de Taquigrafia procuram dentro de um espírito de compreensão e respeito mútuo, aperfeiçoar o sistema que adotam. Não existe ( não deve existir pelo menos) uma atitude de superioridade, visando diminuir o valor, de outro ou outro sistemas não adotados. Proceder contrariamente é ser dotado de um espírito anticientífico, negador dos princípios fundamentais que norteiam a busca do conhecimento.

A Taquigrafia, como arte, encontra-se nessa mesma linha de considerações, e o seu cultor autêntico, com certeza obedece a esses princípios universais.

Com esse princípio de liberdade, adotamos o Sistema Estenital, que nos parece poder atender, com vantagem, o aprendizado da taquigrafia.

Digamos algumas palavras relativas à história do sistema em apreço. Sua criação se deve ao italiano Abramo Mòsciaro após vários anos de estudos e pesquisas em Roma, em 1940.

Naturalmente que o sistema encontrou obstáculos para firmar-se no próprio berço. Havia, na Itália, métodos de Taquigrafia reconhecidos oficialmente pelo Governo, como Gabelsberger-Noé, o Cima e o Meschina.

Criado, como dissemos, em 1940, a primeira entrada objetiva do sistema se verificou na própria Itália, em Roma, em 1943, quando foi convidada para exercer as funções no Parlamento Italiano, a estenitalista, Professora Di Capua.

Daí por diante, a vitória do Sistema Estenital, tanto na Itália como fora do país, foi indiscutível. Assim, num Congresso Internacional de Esperanto, em Munique (Alemanha) ele foi classificado em primeiro lugar. Obteve igual classificação, em língua inglesa, nas Olimpíadas de Monza, na Itália em 1950. Em 1955, o Governo Italiano reconheceu o sistema como dotado de requisitos que a lei exigia, para ensino dessa natureza (Circular Ministerial nº 2685. A Inglaterra organizou e ministrou o primeiro Curso do Sistema, em 1954, em Brighton. No ano seguinte, em Madri (Espanha), também um Curso. Neste mesmo ano, é Decreto nº 1089, do Poder Executivo Italiano quem o reconheceu oficialmente e o introduziu nas Escolas da península.

Pouco depois é o Uruguai quem adota o Sistema Estenital (1957) oficialmente, através da resolução de 16 de maio, muito originária do Conselho Nacional de Ensino. Logo no ano seguinte, em 1958, verifica-se a criação de Centros, para o ensino do sistema em Bruxelas (Bélgica) e em Teerã (Irã).

No Brasil, mais ou mesmo neste último período aludido vem o Sistema Estenital tomando indiscutível incremento, mormente nos Estados de São paulo (graças aos trabalhos de Maurício Vasques) e no Rio Grande do Sul, graças ao esforço e a dedicação de Ernesto Crós Valdez, pioneiro do Sistema Estenital no Brasil. Atualmente, em vários estados brasileiros, o Sistema se encontra em pleno progresso.

No Ceará, graças aos esforços do professor Paulo Amorim Cardoso, a quem devemos nosso aprendizado, o Sistema Estenital vem se difundindo desde 1961 com grande aceitação.

O SISTEMA ESTENITAL : ALGUMAS CARACTERÍSTICAS E QUALIDADES

O Sistema Estenital caracteriza-se por ser dotado de sinais essencialmente fonéticos e cursivos, sendo que nele as consoantes possuem sonoridade geminara ou dobrada e divergem entre si, pela grossura.

Em geral, os signos deste sistema são de formato pequeno excetuando-se apenas quatro consoantes: q – g – f – v. Os demais signos cabem na metade do espaço interlinear dos cadernos comuns.

Na realidade, o Sistema é de fácil contextura e por isso, bastante simples. Como consequência, é aprendido com bastante rapidez. Acresce as circunstâncias de que grande parte dos sinais utilizados são dotados de certa semelhança com a própria escrita do alfabeto comum das línguas ocidentais. Por isso, sua leitura é indiscutível, possuidora de maior clareza do que a dos demais sistemas.

Consideremos, em resumo, outros aspectos do Sistema Estenital. As vogais e as consoantes, por exemplo,: as primeiras são representadas com sinais retos no sentido ascendente (a, e, i) para com sinais de sentido horizontal (o – u). As segundas, as consoantes, por sua vez, se apresentam sinais retos, mistos, cursos e circulares e de fáceis ligações,

A Comissão Técnica Ministerial Italiana designada para dar parecer sobre o sistema, em 1954, considerou este método como dotado de características dos “sistemas geométricos cursivos”, adotando a vocalização alfabética quase rígida, notadamente.

Transcrevemos, a respeito das qualidades do Sistema Estenital, o que diz o volume “Estudo de Taquigrafia” que é, no final, publicação autorizada pela Federação Estenográfica Internacional, A. Mòsciaro, relativa à teoria e prática adotadas, para a língua portuguesa. Diz, assim o volume, entre outras considerações: “Uma inovação gráfica observada foi a distinção entre ditongos e hiatos, novidades particularmente útil à representação e à abreviação de frequentes palavras”. E continua, acrescentando: “Do ponto de vista didático, a ausência de exceções é exaltada, como elemento que facilita extraordinariamente a aprendizagem do sistema. Há uma só regra dominante na formação das palavras. Do ponto de vista técnico, histórico e didático, o sistema se enquadra na tendência atual dos sistemas do mesmo tipo de larga difusão e se adapta á exigências dos extratos sociais, cada dia mais vastos. “Enfim quanto às normas de abreviação, a Comissão aludida declara que o Sistema Estenital apresenta a chamada “abreviação linguística intuitiva”, que é realmente, assinalada, “uma criação admirável de excelentes resultados práticos”.

Em resumo, podemos dizer que o Sistema Estenital, face aos demais, apresenta expressivas características de simplicidade e clareza, levando aquele que o escolheu a aprendê-lo em espaço de tempo mais reduzido, desde que haja interesse e exercitação contínua no decorrer do aprendizado.

Sistema dotado de grande plasticidade e, sem dúvida alguma, de fácil adaptação à língua portuguesa. Entre nós, o número de seguidores já é bastante elevado, formando assim, apesar de possuir relativamente pouco tempo de existência, entre os sistema mais antigos e de maior divulgação.

O Sistema Estenital tem tido boa acolhida em diversos países (além da Itália, seu berço natal, na Alemanha, Inglaterra, Uruguai, Bélgica, Irã e Brasil).

FONTE:

SANTOS, José Rodrigues dos. Lições de Taquigrafia, 9ed. Fortaleza. Ce.1982

Anúncios

2 comentários sobre “O SISTEMA ESTENITAL DE TAQUIGRAFIA : SUA HISTÓRIA.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s