CARTA DE GRAMADO XIX Encontro Nacional de Taquígrafos

De 9 a 11 de maio de 2018, no Centro de Eventos da FAURGS, em Gramado, Rio Grande do Sul, realizou-se a XXII Conferência Nacional dos Legislativos Estaduais e, sob a coordenação da União Nacional dos Taquígrafos do Brasil – UNATAQ, ocorreu o XIX Encontro Nacional de Taquígrafos Parlamentares e Judiciários.gramado6

O referido evento reuniu taquígrafos de todo o país e versou sobre o tema “TAQUIGRAFIA 4.0: INTEGRANDO INTELIGÊNCIA REAL E INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL”. Também contou com a presença de cinco colegas taquígrafos da Argentina e do Uruguai. Na abertura, a Presidente da UNATAQ para o biênio 2017-2019, Adriana Araújo Martins Melo (Superior Tribunal de Justiça), agradeceu a participação dos presentes e a colaboração da Diretoria para a realização do encontro. Em seguida, saudou os participantes e solicitou que se fizesse rápida apresentação das delegações.

Em seguida, foi realizada a primeira palestra:

gramata7
PANORAMA LATINO-AMERICANO,- Víctor González Presidente da FIAT (Federação Ibero-americana de Associações de Taquigrafia)

PANORAMA LATINO-AMERICANO, no qual o Presidente da FIAT (Federação Ibero-americana de Associações de Taquigrafia), Víctor González, apresentou um robusto relatório sobre os serviços de taquigrafia e transcrição em toda a América. Ao final, convidou os presentes a comparecer à reunião da FIAT, que ocorrerá em novembro de 2018, na Argentina, em cidade ainda a ser confirmada. Logo depois, ocorreu a mesa redonda REALIDADES REGIONAIS, taqsgrmaalbavozcom destaque para a Diretora do Setor de Taquigrafia da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, Cármen Lúcia da Silveira Nunes, que apresentou o cenário atual daquele setor, especialmente no que se refere à experiência do uso de ferramenta de transcrição automática de texto.

 

gramado5
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL APLICADA AO REGISTRO TAQUIGRÁFICO – Alexandre A. Liceski da Fonseca ( Câmara Municipal de SP)

Alexandre A. Liceski da Fonseca, diretor da Secretária de Registro Parlamentar e Revisão da Câmara Municipal de São Paulo, apresentou o painel INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL APLICADA AO REGISTRO TAQUIGRÁFICO, trazendo reflexões quanto às perspectivas do futuro da atividade do taquígrafo em relação ao rápido desenvolvimento dessa tecnologia. Em seguida, ocorreu o 1º Fórum de Diretores de Taquigrafia, com a participação de Adriana Melo (STJ), Lúcia Joia (CM Rio de Janeiro), Emília Liem (ALESP), Adriana Ferreira (CD), Kalia Farina (TJMT), Ester Coelho (CM Salvador), Marilanja Pereira (ALBA), Jacqueline Rosário (TCE-BA), Marcius Fernandes (CM Aracaju) e Cármen Lúcia Nunes (ALRS), no qual todos relataram o quadro atual de suas atividades.

gramado4

Logo depois, Ester Coelho, da Câmara Municipal de Salvador, relatou o histórico do planejamento para a realização do concurso público para o cargo de taquígrafo daquela Casa Legislativa.

gramado2
)

Painel MINISTRANDO TAQUIGRAFIA, em que  Fatima Damasceno, da Assembleia Legislativa do Piauí, apresentou histórico da sua experiência em ministrar aulas de taquigrafia na Escola do Legislativo daquele Legislativo. Adriana Ferreira, Diretora do Departamento de Taquigrafia da Câmara dos Deputados, no painel REESTRUTURAÇÃO DO DETAQ, apresentou mudanças que se fizeram necessárias nos processos de trabalho daquela Casa Legislativa.

 

 

PRÊMIO CARLOS BENEDICTO

carlosbenedicto
PRÊMIO CARLOS BENEDICTO CUNHA DE MENEZES – destinado a homenagear grandes nomes da Taquigrafia nacional.

Foi instituído o PRÊMIO CARLOS BENEDICTO, destinado a homenagear grandes nomes da Taquigrafia nacional, seguindo-se apresentação de histórico de vida e de atuação profissional de Carlos Benedicto Cunha de Menezes. Foram agraciados com a primeira edição da honraria os colegas PAULO XAVIER e NINA ROSA.

px1
Prof. Paulo Xavier
nina
Adriana Melo e Nina Rosa Vargas.

Aos presentes foram apresentadas mensagens recebidas de colegas taquígrafos de vários países, como Espanha, Argentina, Porto Rico, Canadá e Japão. Por fim, informou-se que a complementação do Censo 2016-2017 não avançou devido às poucas respostas recebidas dos órgãos que não tinham preenchido o questionário. Encerrando o encontro, a Diretoria fez a prestação de contas do primeiro ano da gestão, que foi aprovada por aclamação.

Texto: Adriana Melo – Presidente Unataq-Br

Anúncios

Na Taquigrafia, filho de Peixe é peixinho.

Na taquigrafia brasileira costumeiramente filho de peixe é peixinho. Exemplo disso temos aqui citados somente dois exemplos, mas sabemos tem mais por aí afora. A  Família Fernandes, em Aracaju, Sergipe  E em Curitiba,no Paraná, a Família Rebello. Gerações em que as matriarcas da família foram as responsáveis de transmitir aos filhos o DNA de taquígrafos.

marciusmae
Ela ensinou-me taquigrafia e mandou eu estudar para fazer também o concurso que iria abrir, para taquígrafo. (Maria Nascimento de Oliveira Fernandes e Március Fernandes )

Maria Nascimento de Oliveira Fernandes, nascida no dia 25/12/1934 , foi funcionária da Câmara Municipal de Aracaju, Em 1975 ela fez concurso para Taquigrafia, onde apreendeu também em família, com a sobrinha Joselte de Azevedo que era taquigrafa da Assembleia, passou no concurso e dez anos depois, ela manda eu estudar para fazer também o concurso que iria abrir para taquígrafo.

Hoje somos uma família de taquígrafos onde temos também minha irmã Célia Mércia de Oliveira Fernandes, que hoje chefia o Setor de Anais , e eu que entrei em 1985. No caso dos Fernandes, a família, na maioria seguiu a carreira de Taquígrafos. Na Assembleia tivemos Joselte, Josiete irmãs. Filhas;  Patricia Amado, Suziane Amado, Gleise Mara e Isis Aldina, todas taquigrafas da familia. Essa paíxão pela taquigrafia foi herança do DNA de minha mãe, Maria, uma entusiasta do ensino e aprendizagem da taquigrafia no Sergipe, que repassou seus conhecimentos aos familiares e a quem mais queria aprender o método Paulo Marti, em Aracaju.

elisamae
Agradeço a Deus  por esse presente chamado LILIAN MARY. (MARIA ELISA REBELLO, TAQUIGRAFA DA CIDADE DE CURITIBA, CONCURSADA EM 1979, FUNCIONÁRIA DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO PARANÁ HÁ 39 ANOS. FILHA DA TAQUÍGRAFA APOSENTADA SRA. LILIAN MARY REBELLO)

A Senhora Lilian Mary Rebello, que, muito jovem, ganhou de presente do seu marido, hoje falecido um livro do Samuel Taylor. Esse livro com os  tais risquinhos chamaram a atenção de Lilian, minha mãe e do nada ela começa a estudar o método e a se encantar com o que estava descobrindo. Na sequência, a mesma foi buscar informações onde a taquigrafia era aplicada.  Viu que se continuasse poderia fazer concursos e trabalhar na Câmara de Vereadores ou na Assembleia. No caso Dona Lilian iniciou sua carreira na Câmara e em 1959/1960 prestou concurso na Assembleia do Estado do Paraná sendo a única aprovada. Conta que nunca se esqueceu de ter errado a expressão  “NÃO TROCAR ALHOS POR BUGALHOS” E, por isso, deixou de tirar o dez que tanto almejava. Foi uma professora conhecida por todos em Curitiba e o método tem valor de destaque na região entre os atuais taquígrafos, que aprenderam a profissão com ela ou com alunos dela.

Na família tem dois filhos que aprenderam a profissão – No meu caso,  Maria Elisa, aos 11 anos de idade e permaneci firme até completar 18 esperando o concurso. Aos 19 prestei concurso para a Assembleia, tive o prazer de passar em primeiro  lugar onde estou até hoje.  ASPAS, também única aprovada.

E  meu irmão, Edson José Rebello, repetiu a história passando na Assembleia sozinho.   Porém permaneceu como taquígrafo na Câmara Municipal de Curitiba até hoje.

Tenho a destacar que a minha mãe, que não tinha sequer o Primário, conseguiu, sozinha, sem orientação de um profissional, sem orientação de um profissional da área, (autodidata) , aprender o Método Samuel Taylor, ainda muito moça, e soube, com muita sabedoria, colocar tudo muito bem encaixado, de tal maneira que, tal e qual estava no livro, assim ela aprendeu. Quando aprendi o método com minha mãe, e por 8 anos fiquei ao lado dela estudando, percebi que ela foi  uma “ALUNA” exemplar. Pois a cada taquigrama que ela ensinava percebia-se, claramente, que se traçado de maneira diversa não chegaria ao resultado tão perfeito como ela conseguiu depreender  do que estava mostrado no  Livro. Creio que minha mãe é uma mulher que transpôs seus limites para chegar onde chegou  – Sem condições de estudar, de se dedicar, com pouco estudo, pois na época era assim, trabalhando e criando os filhos – muito pobre – teve que tirar de dentro dela aquilo que só a vontade de vencer e aprender poderiam tê-la feito chegar onde chegou. A força de vontade e o amor pela profissão deram a ela o reconhecimento de ter sido professora que mais alunos tem em seu currículo.

Uma Mãe exemplar que contava os pães que trazia para que, no outro dia, pudéssemos ter o que comer no café da manhã. Muitas vezes o pão não sobrava, mas ela dava um jeito, fritava uma banana, fazia um bolinho de chuva e com muita dificuldade ela venceu. E  dois de seus filhos – Eu – Maria Elisa, e meu irmão, Edson, pudemos dar a ela a alegria de termos aprendido a profissão com ela e termos alcançado a mesma vitória  que ela alcançou. Uma mulher guerreira que hoje está com  88 anos lutando ainda para continuar aqui conosco. Não mais tão lúcida, mas mau sabe ela que é ela, que mesmo presente, mais fisicamente é ela que enche os nossos corações de alegria. Ao lado dela eu me sinto segura e amada, porque nada e ninguém neste mundo consegue superar o amor que existe dentro do coração de uma mãe, principalmente essa mãe que Deus escolheu  para mim e meus irmãos. Minha mãe é maravilhosa. Somos cinco filhos – Eu e mais quatro irmãos homens que estão aí ajudando a cuidar dela que tudo fez por nós. Agradeço a Deus  por esse presente chamado LILIAN MARY.

Textos:

Március de Oliveira Fernandes – Diretor de Taquigrafia da Câmara Municipal de Aracaju, Representante FIAT – Federação Ibero-Americana de Taquigrafia

Maria Elisa Rebello – Taquígrafa da Assembleia Legislativa de Curitiba .

 

 

 

3 de Maio – Dia do Taquígrafo Brasileiro.

 

 

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

A taquigrafia já foi, há muito tempo, um universo feminino. Mas desde os primórdios desta arte da escrita veloz os homens aqui também registram seus traços na trajetória dessa profissão pouco conhecida, mas muito importante para a História da Humanidade.

Personalidades como o Prof. Waldir Cury, Taquígrafo aposentado da ALERJ. Professor de Taquigrafia, Ex-Membro da Comissão de Educação da INTERSTENO (Órgão Internacional de Taquigrafia). Prof. Paulo Xavier, taquígrafo aposentado da Câmara dos Deputados, Diretor da Taquibras. O inesquecível Valia Benedicto de Menezes , Taquígrafo do Senado Federal (in memorium), todos, membros da antiga ASBRAT que puxaram esse fio da meada que hoje nos trazem taquígrafos renomados atualmente em ação nos parlamentos brasileiros.

A exemplo dessa nova leva de profissionais taquígrafos em ação e que orgulham-se da sua profissão e vestem a camisa pela causa da Taquigrafia, viva e forte , como profissão, ensino e aprendizagem é que viemos homenagear a todos os taquígrafos brasileiros, homens e mulheres, no seu dia consagrado; 3 de maio, reconhecido como o Dia do Taquígrafo no Brasil, comemorado conjuntamente com o Dia do Legislativo Brasileiro. 

ANTÕNIO LINS    –   Ser Ético é Ser Taquígrafo.

Antonio Lins, de Manaus, Amazonas é taquígrafo há 43 anos da ALEAM. Hoje é gerente de Registro de Discurso. Estudou taquigrafia no Senac. Na assembleia do Amazonas, participou, como taquigrafo, de todos os eventos taquigráficos da Assembleia itinerante, Comissão de Ética e Comissão Parlamentar​ de inquérito.
Assumiu anos atrás a CPI da telefonia sozinho, quando teve oportunidade de conhecer vinte municípios amazonenses.

PROFESSOR EDUARDO TREVISAN DUARTE  – Ser taquígrafo é um acidente de percurso.

Professor Eduardo Trevisan Duarte, Engenheiro Mecânico, mas taquígrafo, por opção, conheceu a taquigrafia no final dos anos 70 e início dos anos 80. Atualmente no Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul, de onde é taquígrafo desde 1986. Começou seu ministério de dar aulas em 1991 na Associação Sul Riograndense de Taquígrafos, e depois migrou para o Centro de Estudos, onde é Professor Titular.  Com uma técnica apurada de ensino, ministra cursos de taquigrafia de curta duração, com uma técnica criada específica para cada necessidade, tendo formado muitos profissionais e preparado muita gente para concursos públicos, tendo vários primeiros lugares, bem como alunos – hoje profissionais da área – pelo resto do Brasil.

 

MARCIUS DE OLIVEIRA FERNANDES  –  Taquigrafia em Família.

De família de taquígrafos, Marcius de Oliveira Fernandes é pedagogo, advogado e taquígrafo da Câmara Municipal de Aracaju , nomeado em 16 de fevereiro de 1985, trabalhou no apanhamento no plenário até o ano de 1989, quando assumiu a Coordenação do setor de taquigrafia com apenas 5 taquígrafos, fez um convênio com o Senac Sergipe e deu aula de taquigrafia para alguns servidores públicos da Câmara e trouxe para a taquigrafia mais 15 taquígrafos habilitados ao trabalho. Implantou o Sistema de Gravação Geral e Individual no setor, fez a informatização do setor de taquigrafia e vários eventos em Aracaju, a exemplo do I Encontro Nacional de Profissionais de Taquigrafia, evento esse que reabriu a Asbrat, Associação Brasileira de Taquígrafos, junto o nobre colega e amigo Valia Benedicto de Menezes, Diretor da Supervisão da Taquigrafia do Senado Federal. Teve como mandatos: Vice-presidente da Asbrat, 4  vezes presidente da Unataq e 2 vezes Presidente da Fiat, presidente da Asta, Associação Sergipana de Taquigrafos.

 

Enfim, é no foco desses ícones  da atual taquigrafia que neste 3 de maio comemoramos  o dia desse profissional que, a priore,  é atraído pela questão salarial,que geralmente é uma excelente remuneração, aliado ao fato de ser uma profissão diferenciada das demais, pelo poder atrativo que tem a taquigrafia. Seus traços são mágicos, sua velocidade uma expectativa de superação e, por fim, torna-se uma paixão levada a sério para o bem da história da humanidade.

Parabéns a todos os taquígrafos que fazem da taquigrafia uma arma contra o desconhecimento dos fatos, contra a corrupção e a favor do bom andamento geral da Nação através do registro histórico nos parlamentos, tribunais e câmaras legislativas.

Saudações Taquigráficas a todos!

 

 

 

Corina Lopes 

Taquígrafa e professora de taquigrafia.

 

 

A Excelência da Taquigrafia.

Alan - RJ    Estudante de Taquigrafia
Quero ser Taquígrafo e, muito além, competente! Não meramente passar nos concursos…

Oi, meu nome é Allan. Decidi fazer Taquigrafia em Setembro/17 (em paralelo com o concurso para o TST). Iniciei no método Sound Script. Treinei nesse sistema até dezembro/17 e já havia absorvido todo o conteúdo teórico. Mas na prática, no início de Janeiro/18, fiquei limitado às 55 ppm. Sabia que nunca ultrapassaria os 60 ppm. Pois repetia diversas vezes o ditado e travava. Não acompanhava! Eu já dominava o método. As reduções das palavras não me eram satisfatórias.
Decidi, por conta própria, iniciar o Maron no site e sozinho. A custo zero. Fiz alguns dias de aula. E já sabia… Não ia dar certo. As palavras eram compridas demais e eu não tinha apoio de nenhum professor para ser corrigido.
Eu havia feito algumas pesquisas na internet, sempre procurando aula, método, maneiras de “enxugar” tudo o que eu pudesse.
No dia 30 de Janeiro, encontrei o site do professor Eduardo. Agendei uma entrevista. No dia seguinte, na hora e minuto marcado, ele me ligou para conversarmos sobre o curso e objetivos. (Eu pensei: é esse cara! Nunca vi tamanha pontualidade). Penso que taquigrafia exige compromisso e respeito. Se o professor cumpre o horário que prometeu te ligar, vai cumprir o planejamento de aula.

Dia 01/02- Iniciamos o curso de taquigrafia Método Leite Alves aperfeiçoado.
Hoje são 20/03 e já consigo pegar 80, 90 ppm.
As convenções e reduções me possibilitaram uma infinidade de opções e abriram espaço para velocidade.
Treinamos via Skype quase que diariamente.
Lógico que tudo isso envolve um custo, disciplina.
Mas quero ser Taquígrafo e, muito além, competente! Não meramente passar nos concursos…
Sei que devo ter humildade em reconhecer um trabalho de um profissional de 40 anos que não ficou estagnado no tempo. Devo seguir fielmente suas diretrizes e buscar aumentar a velocidade e domínio da metodologia. Gosto dela, porque me permite taquigrafar diversas palavras em menos de um segundo, dois segundos. O que é crucial para mim.
Passei no Tst e estou estudando para a prova prática, daqui a 25 dias. Sei que só depende de mim, porque já encontrei o método que quero passar e trabalhar.
No meu ponto de vista, não adianta passar e depois não ter velocidade. Quero passar e ser, de verdade, um taquígrafo!
Como na vida, há diversos caminhos, mas já entendi que o meu caminho para o sucesso profissional é com a metodologia desenvolvida pelo Professor Eduardo Trevisan.
Como ele diz: é só OBDC!!

Saudações taquigráficas,

Allan.

Olha esse aluno do RJ, Allan, do Rio de Janeiro, aluno do Professor Eduardo Trevisan, online, via skype, via  WhatsApp 5198135-4389, com 45 dias de aula, pegando 80 a 90 ppm linguagem jurídica e vai fazer a prova do TST dia 15/04 nessa velocidade. Pensa num cara feliz!!!!

A sensação de dominar o tempo, dominar o som, dominar a escrita, a nítida sensação de ser  o  The Flash, o Ayrton Senna ou o Usain Bolt da escrita veloz talvez seja a mágica que a taquigrafia lhe proporciona quando você chega ao nível de acompanhar os ditados taquigráficos. Eis a Excelência da Taquigrafia!

 

 

 

O Ensino de Taquigrafia supera limites.

Atualmente o ensino de taquigrafia anda superando limites. Professores se superam em ensinar e superam barreiras geográficas, tecnológicas e sociais para ensinar taquigrafia.

A taquigrafia, a arte da escrita veloz, ultimamente anda superando as fronteiras limítrofes de espaço e tempo e vem se adequando ao mundo digital. Isso deve-se ao fato do interesse de profissionais da área em ministrar aulas, presenciais ou via redes sociais, e também do agora, imenso interesse dos jovens pela taquigrafia, devido aos altos salários e pela grande atuação desses profissionais nos parlamentos mundiais.taqma

Uma profissão antiga, porém diferenciada devido ao perfil que o profissional taquígrafo deve ter, fato esse já evidentemente notado nos editais de concursos para taquígrafo, onde o candidato é avaliado de forma bastante impar. Enquanto os demais são submetidos a somente uma prova objetiva o  candidato à taquigrafia tem que se submeter a duas provas, sendo a segunda prova de velocidade taquigráfica de no mínimo 80 a 90 palavras por minuto. Isso quando não tem também de submeter-se a provas de idiomas (Inglês e Espanhol) como no caso das provas de concurso para o Senado Federal e Câmara Federal.

É, não é fácil ser um taquígrafo. Menos ainda ser um professor de taquigrafia. Abrir, na mente das pessoas, a paixão pela escrita veloz; fazer conhecer o interesse por ela, a taquigrafia,  a capacidade de pôr no papel o que passa na cabeça do orador antes mesmo que ele o diga, isso tudo enquanto ele fala. Registrar a História.

Enfim, superar sempre os limites das tecnologias e do tempo. Sim, do tempo. É o que faz um professor de taquigrafia. É o que está fazendo o Professor Eduardo Trevisan Duarte entre uma entrada de plenário ou a paixão pela  música ou até mesmo pela a arte culinária. O trabalho de profissional taquígrafo e o mais importante, o de Mestre reconhecido da taquigrafia nacional. Premiado. Mas, com certeza, maior prêmio foi receber a mensagem da aluna, Livia Larissa Batista e Silva, do Piauí, atualmente residindo em Brasília, que logrou aprovação no concurso para Técnico em Taquigrafia do Tribunal Regional Federal da 1a Região , com pouco mais de 30 dias de estudos de taquigrafia, com aulas diárias. A prova exigia a velocidade de 90 a 95 palavras por minuto! Ela esta aprovada e classificada! A Livia foi extremamente determinada, com 8 a 10 h de estudos diários de taquigrafia.

Tudo isso feito através do uso das midias sociais.zap

O uso, atualmente, das redes sociais por professores de taquigrafia mostram o quão diferente é a taquigrafia. Enquanto muitos espalham o chavão de que é uma técnica em desuso a taquigrafia demonstra, dia a dia, que se adequa à realidade atual e tem uma missão digital na escrita que se iniciou, na antiguidade sobre uma tábua de madeira e hoje se supera sendo traçada, seus vários métodos, na sua veloz velocidade sendo escrita nos tablets usados nos Senados do mundo inteiro.

tablettaq

E é através dessa ferramenta tecnológica que a taquigrafia vem se expandindo nos mais diversos rincões do país.

Existem diversos professores que ensinam taquigrafia à distancia, via skype, whastapp, a exemplo  do Professor Waldir Cury que a décadas tem curso online e muitos  outros mestres da taquigrafia mundial que vão aonde houver interesse de aprender e obter conhecimento através da taquigrafia. O Projeto TaqTeen que é ofertado em escolas de ensino médio para estudantes de baixa renda na defesa da inclusão da #taquigrafiano ensinomedio  como forma de apreensão de conhecimento e inclusão social que faz uso do Livro Digital Notário, de autoria da Professora Corina Barbosa Lopes, via  Código QR ou por via de acesso ao ISSUU,  site de publicações digitais gratuitos.

notarilqr
Livro Digital Notário, de autoria da Professora Corina Barbosa Lopes, via  Código QR
trevi
Professor Eduardo Trevisan e sua ex-aluna, agora colega de trabalho, Cristina Rosa Baierle, Taquígrafa Forense do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul.

Mas, enfim, se seguires as palavras do Mestre Prof. Eduardo Trevisan  “Quando pensar em desistir do sonho, depois de tanto tempo e dinheiro envolvido, creia que é possível e até passar! Percalços existem, como não passar na primeira etapa, mas só montar uma estrategia e focar! O sonho se realiza! ” porque com taquigrafia tudo é possível , até  tu seres menos uma pobre no mundo. 

 

 

 

Seja tão veloz quanto o tempo, seja um taquígrafo.

Contatos via links
A imagem pode conter: telefone e texto

Fotos web

 

 

 

TAQUIGRAFIA EM FOCO – PROJETO DOS TAQUÍGRAFOS E CRIAÇÃO DO SINDICATO

Procure a Assembleia, lá existem taquigrafos que ministram aulas. Tem também cursos online como o do site taquigrafia em foco com Prof. Waldir Cury e pelo 51 98135-4389 Whats Prof. Eduardo Trevisan. Saudações taquigráficas e boa sorte!!!

Escriba

Boa tarde a todos

Primeiramente, peço desculpas por esse lapso de tempo sem notícias a respeito do nosso Projeto e de conversarmos a respeito da necessidade de criarmos nosso sindicato.

Então, quanto ao nosso Projeto, é do conhecimento de todos que a votação do orçamento de 2013 ficou para o dia 19 de fevereiro. Assim, para que possamos trabalhar a votação do nosso projeto na Comissão de Finanças e Orçamento, é necessário que o orçamento de 2013 seja homologado e, dessa forma, teremos condições de trabalhar.

E mais: a primeira semana foi destinada à aprovação dos Presidentes da Câmara e do Senado, e nada mais está sendo feito. É algo comum nesse período, e tudo fica subordinado a esses acontecimentos. Mas o que anima é o fato de que neste ano não há eleição, tampouco Copa do Munda. Tá certo que haverá Copa das Confederações, mas não é motivo para…

Ver o post original 790 mais palavras

Art. 944 do Novo CPC dá Fé ao Taquígrafo e o Juramenta e Intersteno Berlim 2017.

Conforme o Artigo 944 do CPC se o acórdão não for publicado em dez dias – ou melhor, a ementa, a súmula das conclusões -, contados do julgamento, as notas taquigráficas o substituirão, mediante as condições deste parágrafo. Ou seja, o referido artigo do Novo Código de Processo Civil dá fé pública ao profissional taquígrafo e o juramenta.

codigo3
Artigo 944 do Novo Código de Processo Civil dá fé pública e juramenta o profissional taquígrafo.

Mesmo sendo muito antiga com registros até mesmo em vídeos como em Alexandre (https://www.youtube.com/watch?v=KH2k84N_rN8)   os profissionais de taquigrafia são unânimes em afirmar que a taquigrafia nunca deixará de existir. Prova inconteste, além desses registros históricos em mídias sociais, vídeos e registro de sua importância para a humanidade como o Artigo acima referido, está ocorrendo em Berlim o encontro Internacional da Intersteno de profissionais Taquígrafos do mundo inteiro reunidos  de 22 a 28 de julho, na busca pela valorização e o reconhecimento da profissão. O Brasil está também representado juntamente com os demais países que consideram a arte da escrita veloz imortal.

INTER
CONGRESSO INTERSTENO BERLIN 22 A 28 DE JULHO Sangue Novo na Taquigrafia. Certificação de alunos de taquigrafia.
berlin
INTERSTENO – International Federation for info and communication processing BERLIM 2017
berlin
Taquígrafos profissionais do mundo inteiro reunidos em Berlim de 22 a 28 de julho na busca pela valorização e o reconhecimento da profissão.

Então para quem pensa que a taquigrafia esta morrendo com o avanço tecnológico, lamento informar-lhes, mas estamos vivos, bem vivos e cada vez mais resistentes porque somos resilientes e usamos as tecnologias a nosso favor, e continuamos a ensinar a quem quer aprender taquigrafia. Estamos firmes e fortes e continuaremos a honrar a toda a nossa história taquigráfica que talvez tenha começado com um escravo, Cícero, e contínua até hoje com nós, escravos das letras, escravos do som, escravos da escrita veloz. Amantes do registro histórico e rumo ao reconhecimento da Patrimônio Cultural Intangível da Humanidade”, pela Unesco e continuam a surgir concursos de taquigrafia em vários parlamentos, portanto, preparem-se com antecedência, pois para ser um taquígrafo terás que esta preparado.

 

Software de comunicação de Taquigrafia da Câmara de Caxias do Sul Parlavox é apresentado em XVIII ETAQ

A chefe do Setor de Registro e Revisão de Anais da Câmara de Caxias, Milena Bartelle, e o taquígrafo Ettore Tonani
Taquígrafos Milena Bartelle, e o Ettore Tonani – Setor de Registro e Revisão de Anais da Câmara de Caxias do Sul

A chefe do Setor de Registro e Revisão de Anais da Câmara de Caxias, Milena Bartelle, e o taquígrafo Ettore Tonani participam, de 7 a 9 de junho, em Foz do Iguaçu (PR), do XVIII Encontro Nacional de Taquigrafia Parlamentar e Judiciária,  da UNATAQ – BR evento vinculado à XXI Conferência Nacional da União Nacional dos Legislativos (Unale). À convite dos organizadores, os dois servidores vão compartilhar a implantação do software de comunicação Parlavox, em funcionamento com grande sucesso pelos técnicos da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul desde abril deste ano.

Parlavox foi lançado em abril e já tem grande repercussão na comunidade Crédito: Clever Moreira
Parlavox foi lançado em abril e já tem grande repercussão na comunidade Crédito: Clever Moreira

A inovação fortalece o princípio da transparência legislativa ao disponibilizar simultaneamente e online conteúdos de texto, imagem e voz das sessões ordinárias realizadas no plenário da Casa. Lançado no Dia do Jornalista, 7 de abril, o software tem apresentado grande repercussão junto à imprensa e a comunidade.

Os técnicos vão apresentar o Parlavox na palestra marcada para a próxima quarta-feira (7), às 15h, com o tema “Reorganização do departamento de Taquigrafia da Câmara Municipal de Caxias do Sul – RS – Mudanças que precisamos: renovação de processos”.

Para o presidente da Câmara de Vereadores, Felipe Gremelmaier, “a participação dos servidores em eventos desta grandeza confirma o padrão alcançado pelo Legislativo caxiense que, com um quadro funcional enxuto, consegue ser referência em inovação tecnológica com foco na transparência”.

02/06/2017 – 14:57
Assessoria de Imprensa
Câmara Municipal de Caxias do Sul
Editor(a) e Redator(a): Clever Moreira – 8697

 

TAQUIGRAFIA PRESENCIAL ONLINE

EDU5
Cursos presenciais e online, ao vivo, de taquigrafia com o Professor e Taquígrafo Eduardo Trevisan Duarte, taquígrafo do TJ-RS desde 1985, bem como eventos e transcrição (degravação) de mídias em Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Taquigrafar é mais do que um registro da história forense e legislativa do país. É sublime satisfação pessoal e profissional.

Informações Cursos de Taquigrafia pelo método Leite Alves Aperfeiçoado

• orientação para pessoas de outros métodos com mudança ou não

• Aumento da velocidade taquigráfica sem depender do contexto para facilitar a leitura

Este slideshow necessita de JavaScript.

edu1

Primeira aluna da noite de taquigrafia on line via Skype – cidade de Santos – sendo alfabetizada no Sistema Leite Alves Aperfeiçoado!

O SISTEMA ESTENITAL DE TAQUIGRAFIA : SUA HISTÓRIA.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

O SISTEMA ESTENITAL: SUA HISTÓRIA

São diversos os sistemas estenográficos, como variados são os métodos para alcançar perfeito conhecimento dessa arte de escrever com rapidez, através de sinais, apanhando em segundos o que, com a escrita comum, exigiria muitos minutos, até horas.

Adotar um sistema ou método não deve significar que os demais sejam inferiores. Os cultores de Taquigrafia procuram dentro de um espírito de compreensão e respeito mútuo, aperfeiçoar o sistema que adotam. Não existe ( não deve existir pelo menos) uma atitude de superioridade, visando diminuir o valor, de outro ou outro sistemas não adotados. Proceder contrariamente é ser dotado de um espírito anticientífico, negador dos princípios fundamentais que norteiam a busca do conhecimento.

A Taquigrafia, como arte, encontra-se nessa mesma linha de considerações, e o seu cultor autêntico, com certeza obedece a esses princípios universais.

Com esse princípio de liberdade, adotamos o Sistema Estenital, que nos parece poder atender, com vantagem, o aprendizado da taquigrafia.

Digamos algumas palavras relativas à história do sistema em apreço. Sua criação se deve ao italiano Abramo Mòsciaro após vários anos de estudos e pesquisas em Roma, em 1940.

Naturalmente que o sistema encontrou obstáculos para firmar-se no próprio berço. Havia, na Itália, métodos de Taquigrafia reconhecidos oficialmente pelo Governo, como Gabelsberger-Noé, o Cima e o Meschina.

Criado, como dissemos, em 1940, a primeira entrada objetiva do sistema se verificou na própria Itália, em Roma, em 1943, quando foi convidada para exercer as funções no Parlamento Italiano, a estenitalista, Professora Di Capua.

Daí por diante, a vitória do Sistema Estenital, tanto na Itália como fora do país, foi indiscutível. Assim, num Congresso Internacional de Esperanto, em Munique (Alemanha) ele foi classificado em primeiro lugar. Obteve igual classificação, em língua inglesa, nas Olimpíadas de Monza, na Itália em 1950. Em 1955, o Governo Italiano reconheceu o sistema como dotado de requisitos que a lei exigia, para ensino dessa natureza (Circular Ministerial nº 2685. A Inglaterra organizou e ministrou o primeiro Curso do Sistema, em 1954, em Brighton. No ano seguinte, em Madri (Espanha), também um Curso. Neste mesmo ano, é Decreto nº 1089, do Poder Executivo Italiano quem o reconheceu oficialmente e o introduziu nas Escolas da península.

Pouco depois é o Uruguai quem adota o Sistema Estenital (1957) oficialmente, através da resolução de 16 de maio, muito originária do Conselho Nacional de Ensino. Logo no ano seguinte, em 1958, verifica-se a criação de Centros, para o ensino do sistema em Bruxelas (Bélgica) e em Teerã (Irã).

No Brasil, mais ou mesmo neste último período aludido vem o Sistema Estenital tomando indiscutível incremento, mormente nos Estados de São paulo (graças aos trabalhos de Maurício Vasques) e no Rio Grande do Sul, graças ao esforço e a dedicação de Ernesto Crós Valdez, pioneiro do Sistema Estenital no Brasil. Atualmente, em vários estados brasileiros, o Sistema se encontra em pleno progresso.

No Ceará, graças aos esforços do professor Paulo Amorim Cardoso, a quem devemos nosso aprendizado, o Sistema Estenital vem se difundindo desde 1961 com grande aceitação.

O SISTEMA ESTENITAL : ALGUMAS CARACTERÍSTICAS E QUALIDADES

O Sistema Estenital caracteriza-se por ser dotado de sinais essencialmente fonéticos e cursivos, sendo que nele as consoantes possuem sonoridade geminara ou dobrada e divergem entre si, pela grossura.

Em geral, os signos deste sistema são de formato pequeno excetuando-se apenas quatro consoantes: q – g – f – v. Os demais signos cabem na metade do espaço interlinear dos cadernos comuns.

Na realidade, o Sistema é de fácil contextura e por isso, bastante simples. Como consequência, é aprendido com bastante rapidez. Acresce as circunstâncias de que grande parte dos sinais utilizados são dotados de certa semelhança com a própria escrita do alfabeto comum das línguas ocidentais. Por isso, sua leitura é indiscutível, possuidora de maior clareza do que a dos demais sistemas.

Consideremos, em resumo, outros aspectos do Sistema Estenital. As vogais e as consoantes, por exemplo,: as primeiras são representadas com sinais retos no sentido ascendente (a, e, i) para com sinais de sentido horizontal (o – u). As segundas, as consoantes, por sua vez, se apresentam sinais retos, mistos, cursos e circulares e de fáceis ligações,

A Comissão Técnica Ministerial Italiana designada para dar parecer sobre o sistema, em 1954, considerou este método como dotado de características dos “sistemas geométricos cursivos”, adotando a vocalização alfabética quase rígida, notadamente.

Transcrevemos, a respeito das qualidades do Sistema Estenital, o que diz o volume “Estudo de Taquigrafia” que é, no final, publicação autorizada pela Federação Estenográfica Internacional, A. Mòsciaro, relativa à teoria e prática adotadas, para a língua portuguesa. Diz, assim o volume, entre outras considerações: “Uma inovação gráfica observada foi a distinção entre ditongos e hiatos, novidades particularmente útil à representação e à abreviação de frequentes palavras”. E continua, acrescentando: “Do ponto de vista didático, a ausência de exceções é exaltada, como elemento que facilita extraordinariamente a aprendizagem do sistema. Há uma só regra dominante na formação das palavras. Do ponto de vista técnico, histórico e didático, o sistema se enquadra na tendência atual dos sistemas do mesmo tipo de larga difusão e se adapta á exigências dos extratos sociais, cada dia mais vastos. “Enfim quanto às normas de abreviação, a Comissão aludida declara que o Sistema Estenital apresenta a chamada “abreviação linguística intuitiva”, que é realmente, assinalada, “uma criação admirável de excelentes resultados práticos”.

Em resumo, podemos dizer que o Sistema Estenital, face aos demais, apresenta expressivas características de simplicidade e clareza, levando aquele que o escolheu a aprendê-lo em espaço de tempo mais reduzido, desde que haja interesse e exercitação contínua no decorrer do aprendizado.

Sistema dotado de grande plasticidade e, sem dúvida alguma, de fácil adaptação à língua portuguesa. Entre nós, o número de seguidores já é bastante elevado, formando assim, apesar de possuir relativamente pouco tempo de existência, entre os sistema mais antigos e de maior divulgação.

O Sistema Estenital tem tido boa acolhida em diversos países (além da Itália, seu berço natal, na Alemanha, Inglaterra, Uruguai, Bélgica, Irã e Brasil).

FONTE:

SANTOS, José Rodrigues dos. Lições de Taquigrafia, 9ed. Fortaleza. Ce.1982